Personal tools
Você está aqui: Home Notícias O Brasil disse não à Leishamaniose: O Cão Não É o Vilão!
Quer receber nossos boletins? Cadastre-se!
(Required)
(Required)
 

<< Ver todas as notícias


20/2-/5-24 16h11
Document Actions

O Brasil disse não à Leishamaniose: O Cão Não É o Vilão!

[PROANIMA] - O Brasil disse: Não à Leishmaniose, o Cão Não é o Vilão No último domingo, dia 20 de maio, centenas de defensores dos animais em todo o país foram às ruas conscientizar a população e clamar por uma nova política pública de combate à Leishmaniose Visceral Canina no movimento "Diga Não à Leishmaniose, o Cão não é o vilão!" http://www.ocaonaoeovilaodiganaoaleishmaniose.blogspot.com.br/. Nosso movimento defende: - O fim do extermínio de animais supostamente doentes pelo governo. - O direito ao tratamento de animais com LVC, acompanhado por clínico veterinário, com as devidas precauções para que o animal não faça parte do ciclo de transmissão da doença - Políticas públicas de vacinação , encoleiramento com repelentes e controle populacional de animais domésticos - Políticas de controle ambiental eficaz. contra a doença. - O apoio ao PL 1738 , de Geraldo Rezende, que prevê vacinação e direito de tratamento para cães. Em Brasília, a ProAnima organizou o evento, em parceria com voluntários dos grupos BSB Animal, SVPI e Abrigo Augusto. A todos os que nos ajudaram, nosso muito obrigado, de coração! Nossa movimentação começou na quinta, 17 de maio, com uma palestra na Universidade de Brasília com o Dr Paulo Tabanez, fundador do BrasiLeish, Grupo de Estudos sobre Leishmaniose Animal (http://www.brasileish.com.br/conteudo/home.php) . Na palestra, os voluntários puderam se atualizar sobre os avanços na compreensão sobre a Leishmaniose Visceral Canina. No domingo, os voluntários estiveram em pontos estratégicos da cidade (Lago Norte, Lago Sul e região do Grande Colorado) para a conscientização da população. Cerca de 2 mil cartilhas e panfletos da ProAnima e da WSPA sobre a Leishmaniose Visceral Canina foram distribuídos. A receptividade da população foi ótima, com muitas pessoas parando para tirar dúvidas, partilhar suas experiências e prestar solidariedade à causa. Nossas atividades seguem durante o ano, com a distribuição de cartilhas ténicas da BrasilLeish/ WSPA a todas as clínicas veterinárias do DF, e um seminário técnico para clínicos com especialistas sobre o tema, a ser realizado em agosto. A situação de Brasília deixa claro que a matança de animais que supostamente têm a doença não tem impedido a sua disseminação entre os animais da cidade e do páis. Sabemos que a saúde pública só é bem sucedida com a colaboração e consicentização da população. Mas o que vemos? Enquanto milhares de cães são mortos e abandonados, o vetor da doença, o flebótomo, não é combatido, e medidas factíveis e realistas da prevenção não são sugeridas. Muitos repõem os cães mortos com outros, filhotes, mais sucetívieis à doença. Boa parte da população ignora que existem outros hospedeiros, como gambás, ratos, e mesmo gatos, e acham que a doença não está mais por perto ao verem a eliminação dos cães. Pessoas com vínculo forte com seus animais e que lutam por sua vida são colocadas numa situação de constrangimento moral. A cidade segue crescendo de modo desordenado, e poucos fazem a conexão entre a derrubada de Cerrado e a mudança do ciclo silvestre para o ciclo urbano da doença. Tapa-se o sol da desnutrição, falta de diagnóstico e tratamento de humanos com a peneira da matança de animais. O resultado? A doença segue se alastrando. Quer ajudar? Divulgue informações adequadas. Visite nosso site: http://www.proanima.org.br/ouca-a-voz-dos-animais/animais-de-companhia/saude/leishmaniose e outros http://www.brasileish.com.br/conteudo/home.php http://www.ocaonaoeovilaodiganaoaleishmaniose.blogspot.com.br/ Assine o abaixo assinado pela aprovação do PL que muda a política pública de combate à Leishmaniose http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N15026 Faça uma contribuição em qualquer valor para viabilizar nossos custos com a campanha. Precisamos do seu apoio para o nosso trabalho! Assoc Prot dos Animais do DF Banco do Brasil Agência: 3603-X Conta corrente: 23383-8 CNPJ: 05.992.115/0001-2 http://www.proanima.org.br/quer-dar-uma-forca/contribuicoes-em-dinheiro Lembre-se: - A Leishmaniose Visceral Canina é infecciosa, mas não CONTAGIOSA. Ninguem pega a doença no contato com outros animais seres infectados. - O Cão NÃO transmite a doença! É um inseto ( popularmente chamado de mosquito palha) que faz a transmissão, e é ele que deve ser combatido. - O cão NÃO é o único hospedeiro, é apenas o mais perseguido e vitimado. Seres humanos, gatos, gambás, ratos, dentre outros, também se infectam com a Leishmania. - O exame sorológico NÃO é seguro como forma de diagnóstico! - Um animal que tenha o parasita não desenvolve necessariamente a doença. - Há vacinas contra a Leishmaniose eficazes e aprovadas para o uso. - Prevenir com coleiras e produtos repelentes também é fundamental. Aquele abraço, A equipe da ProAnima Se não conseguir ver esta mensagem, clique aqui ProAnima | Associação Protetora dos Animais do Distrito Federal Associação sem fins lucrativos Sede: SHCN CL 214 - Bloco C - Loja 56 - Subsolo - Asa Norte - Brasília - DF - CEP 70.873-530 Telefone: (61) 3032-3583 - Deixe seu recado e retornaremos assim que possível. E-Mail : proanima@proanima.org.br | Site: www.proanima.org.br Se não quiser mais receber e-mails da Proanima, clique aqui ou mande um e-mail