Personal tools
Você está aqui: Home Ouça a Voz dos Animais Animais de Companhia Saúde Leishmaniose Sobre a campanha no Lago Norte
Document Actions

Sobre a campanha no Lago Norte

Sobre o inquérito epidemiológico. A campanha que bate de porta em porta, dá orientações e coleta sangue:

  • Tenho a obrigação de permitir que colham o sangue do meu cão?

A Constituição, que está acima de qualquer outra legislação ou portaria, prevê que sua casa é inviolável. É sua escolha permitir ou não que os agentes entrem em sua casa e coletem sangue de seu cão. Sugerimos que os agentes de saúde sejam benvindos para dar orientações de como evitar o mosquito palha, e olhar em sua casa se há locais onde possam estar os mosquitos. Quanto à coleta de sangue, se permitir, exija que a agulha usada seja uma por animal, inutilizada após o uso—e ao receber o resultado, cuidado com a interpretação- ver abaixo.

  • Se o exame realizado pela Secretaria de saúde der positivo, quer dizer que meu cão tem mesmo Leishmaniose ?

O diagnóstico da Leishmaniose é altamente complexo e nenhum dos métodos é 100% seguro. Por isso a importância de se realizar ao menos uma contra-prova e do animal ser examinado por veterinário. Na sorologia utilizada pelo GDF, por exemplo, há problemas de cruzamento com outras doenças, notadamente, a erliquiose, ou doença do carrapato. Mas até verminoses comuns podem dar um "positivo"na sorologia RIFI. Assim, seu cão pode ter apenas doença do carrapato ou vermes comuns e testar positivo para Leishmaniose. E independente de reações com outras doenças, em 5-8% dos casos há falsos positivos nas sorologias. Centenas de cães estão sendo mortos no DF sem que tenham com certeza a Leishmaniose.


Um exame mais preciso é o PCR, que custa em torno de R$ 65,00. Outros exames mais precisos  são a imunohistoquímica de tecido da orelha, a citologia aspirativa de linfonodo e medula óssea. Há uma variedade de exames e a depender do caso vai ser investigada a presença do DNA, do parasita, ou do anticorpo. Em geral se realiza uma combinação de exames para o diagnóstico. Seu veterinário poderá realizar contraprovas, enviando a amostra para laborátórios credenciados pelo Governo.

Desta forma, caso o resultado da primeira sorologia dê positivo, converse com seu veterinário, que deverá coletar o material e encaminhar para o laboratório para que uma avaliação seja realizada de posse de mais de um resultado e da clínica do animal.

Leia mais no site da ProAnima sobre os diversos métodos de diagnóstico.

  • Se meu cão testou positivo, os agentes de saúde podem entrar em minha casa e carregá-lo para matar?

Não. Novamente, a Constitutição Federal, que está acima de qualquer lei distrital ou portaria, prevê que sua casa é inviolável.

Ou seja, qualquer entrada não autorizada em sua casa requererá ordem judicial, após avaliação por um juiz. O STJ já deu ganho de causa à Ação Civil Pública no Mato Grosso do Sul prevendo que animais só podem ser mortos com o expresso consentimento do proprietário e após a realização de prova e contra-prova. Se algum agente de saúde o ameaçar, isso é abuso de poder. A decisão de sacrificar um animal é do proprietário e algo muito sério. São indicados os sacrifícios apenas quando o animal está sintomático e o tratamento não for possível.